Espinheira Santa | Veja os benefícios que ela pode proporcionar

0

Você conhece a Espinheira Santa?

A Espinheira Santa, (Maytenus ilicifolia) é um fitoterápico que possui ação comprovada na redução de problemas estomacais. Suas folhas possuem taninos, que tem como finalidade inibir a secreção em excesso de ácido clorídrico proporcionando proteção da mucosa gastrointestinal para melhor funcionamento do aparelho digestivo.

 

Benefícios que a Espinheira Santa pode oferecer

Segundo a literatura, a Espinheira Santa pode combater problemas relacionados ao sistema digestivo, como:

  • má digestão;
  • gastrites, azia e acidez estomacal;
  • úlceras gástricas e duodenais;
  • inflamações intestinais (enterites);
  • adstringente estomacal: restaura o pH do estômago;
  • antitumoral: previne possíveis tumores no estomago;
  • propriedades diuréticas: reduz o fluxo de líquido corporal;
  • depurativa do sangue: elimina toxinas do sangue;
  • anti-infecciosas: previne infecção.

 

A Farmácia Dermus possui Espinheira Santa para manipulação. CLIQUE AQUI para adquirir.

Apresentação
50 cápsulas de 160mg

Posologia
Tomar uma cápsula de 2 a 3 vezes ao dia.

Contraindicação
A espinheira santa é contraindicada na amamentação e na gravidez, visto que pode diminuir a secreção de leite e pode provocar contrações uterinas.

 

Referências

Revista Brasileira de Farmacologia, 2002;

Tese de Mestrado em Farmácia, Michele Debiasi Alberton, 2001;

Folheto Espinheira Santa Corrigido – Anvisa;

Identificação Do Produto Tradicional Fitoterápico – Anvisa;

Blog Tua saúde;

Blog Doutor Juliano Pimentel;

CARVALHO,João Ernesto de. Atividadede an;tiulcerogênca e anticâncer de produtos natirais e síntese. MultiCiência: construindo a história dos produtos naturais. 7º Ed, São Paulo. Out. 2006. Disponível em: <https://www.multiciencia.unicamp.br/artigos_07/a_03_7.pdf> Acesso em 07 de Dez. 2018.

HOLNIK, P.R.; HUSSEIN, A.A.; et. al. Comparação do teor de taninos entre duas espécies de espinheira-santa (Maytenus aquifolium Mart. e Maytenus ilicifolia Mart. ex Reissek) cultivadas no Horto Medicinal do Refúgio Biológico Bela Vista – RBBV da Itaipu Binacional – Foz do Iguaçu, PR – Brasil. Rev. Bras. Pl. Med., Campinas, v.17, n.3, p.385-391, 2015 . Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbpm/v17n3/1516-0572-rbpm-17-3-0385.pdf> Acesso em: 07 de Dez de 2018.

MONTEIRO,Julio Marcelino;ALBUQUERQUE, Ulysses Paulino de; ARAÚJO, Elcida de Lima , TANINOS: UMA ABORDAGEM DA QUÍMICA À ECOLOGIA . Quim. Nova, Vol. 28, No. 5, 892-896, 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/%0D/qn/v28n5/25920.pdf> Acesso em 07 de Dez. 2018.

SILVA, S. C. M. S.; MURA,P. D. J. Tratado de alimentação, nutrição e dietoterapia. 1º Ed. São Paulo: Roca, 2007. p.633-954.

Compartilhe no Facebook

Os comentários foram encerrados.